#Eu Protejo o Tatu-Bola


Menor e menos conhecida espécie de tatu do Brasil

Vive na Caatinga e em algumas áreas do Cerrado

O Tatu-bola (Tolypeutes tricinctus) é uma espécie encontrada essencialmente na Caatinga e em algumas áreas do Cerrado. São dotados de três cintas móveis, daí o nome tricinctus, e a capacidade de curvar sua carapaça. Medindo cerca de 40 centímetros, o Tatu-bola, tem hábito noturno e alimenta-se de cupins, formigas, cascas e raízes de plantas, além de frutas. Essa espécie não escava buracos e sim aproveita tocas abandonadas feitas por outros tatus. As fêmeas produzem, por ninhada, um, ou mais raramente dois filhotes.

A caça representa a principal ameaça à sobrevivência da espécie, seguida pela destruição e alteração do habitat. É uma das espécies de tatu mais sensíveis a alterações do ambiente onde vive. No Brasil existem 11 espécies de tatus, sendo o Tolypeutes tricinctus a única exclusivamente brasileira. O status atual da espécie na Lista Vermelha da (IUCN) é Vulnerável (VU). Isso significa que a espécie corre sério risco de entrar em processo de extinção.


BIOLOGIA DA ESPÉCIE: Hábitos da espécie e dados de comportamento geral
Na natureza o Tolypeutes tricinctus se alimenta principalmente de cupins, mas outros invertebrados e material vegetal também podem constituir a dieta desta espécie. Esta espécie pode ainda utilizar frutos durante a época chuvosa. Em estudo realizado em área de Cerrado com a presença de pinus e soja, o Tatu-bola foi avistado ao longo de todo o dia, sendo mais registrado durante o período noturno (56%). Para abrigo pode utilizar depressões no terreno ou se cobrir com folhas. Durante a época de acasalamento, observa-se mais de um macho acompanhando uma mesma fêmea.

Massa dos adultos
O peso desta espécie varia entre 1,0 e 1,8 kg

Comprimento Total
O comprimento do corpo tem cerca de 40 cm

Tempo médio e intervalo de gestação
Provavelmente o tempo de gestação é de 120 dias, semelhante ao Tolypeutes matacus, pois não há informações específicas de biologia reprodutiva para esta espécie.

Número de filhotes por gestação
As fêmeas produzem, por ninhada, um ou mais raramente dois filhotes, que nascem completamente formados.
O grau de ameaça do Tatu-bola, a grande carência de conhecimento sobre a espécie, a degradação dos ambientes naturais onde ela ocorre e as respectivas consequências ambientais, sociais e econômicas deste processo de degradação tornam pertinentes as iniciativas de conservação propostas neste projeto. O NCC possibilitará, por meio de suas diversas linhas de ação, a conservação de inúmeras outras espécies raras, endêmicas ou ameaçadas do Bioma Caatinga, além de contribuir para a mitigação de efeitos potencializadores do aquecimento global, combater a degradação e desertificação, promover a manutenção dos serviços ambientais por meio da proteção de nascentes, corpos hídricos, florestas e a criação de corredores ecológicos que reestabelecerão a conectividade entre os fragmentos de ecossistemas e possibilitarão o fluxo genético da fauna e flora garantindo sua variabilidade e consequentemente a perpetuação das espécies.

Tanto o tatu-bola como o ambiente onde ele ocorre ainda é pouco conhecido pela sociedade brasileira e global. O No Clima da Caatinga irá desenvolver ações de educação ambiental e comunicação que deverão aproximar a espécie e seu habitat da população, contribuindo para a mobilização da sociedade para as questões ambientais e para a necessidade de se promover a conservação da natureza. Também serão promovidas ações de capacitação em tecnologias sustentáveis e geração de renda junto às comunidades localizadas nas áreas de ocorrência do Tatu-bola e no entorno das Unidades de Conservação a serem criadas.